[Mochilão 15] Dia 15: Ottawa


Encontrei no café da manhã do hostel com as brasileiras que eu tinha conhecido em Toronto. 

Fui com elas fazer o "free walking tour" de Ottawa. O ponto de encontro do passeio foi na Centenial Flame, em frente ao parlamento. 



O grupo tinha umas 10 pessoas de diversos lugares.

Passando pela Sparks Street, uma rua de pedestres do centro:


Uma exposição sobre a preservação do meio ambiente:


A guia falando sobre a Suprema Corte:


Grupo em frente ao parlamento fazendo Yoga:



No final do passeio, a guia sugeriu uma "tip" de $10 (R$27) de cada um. Ou seja, na prática, o walking tour não era "free".

O centro da cidade continuava com diversas ruas interditadas por causa do acidente na obra que aconteceu ontem. Ainda dava para ver o buraco no asfalto.



Nepean Point, um mirante às margens do Rio Ottawa. Do outro lado fica a cidade de Gatineau, no Quebéc.


A delegação brasileira no Nepean Point com o Parlamento ao fundo:



Comemos num pub chamado El Furniture Warehouse, que ficava em frente ao Byward Market:



Este pub tinha preços muito justos. Um hamburger com fritas e uma cerveja deu apenas $10 (R$27).



Os bares e restaurantes do Canadá fazem algo que achei muito inteligente: eles entregam uma conta para cada pessoa da mesa já separando o que cada pessoa consumiu. Não precisa daquela matemática chata para descobrir quanto cada um precisa pagar. Vale ressaltar que no Canadá você não precisa nunca pedir a conta. O garçom sempre pergunta se você deseja mais alguma coisa, e se você disser não, ele já vai te trazer automaticamente a conta.

De sobremesa comemos um beavertail, que é uma espécie de rabanada gigante com coberturas doces.


Havia diversas opções de coberturas: canela, manteiga de maple, baunilha, chocolate, banana, etc. 


Pedi uma de baunilha com pedaços de biscoito Oreo ($6,25 = R$17):


Fomos dar uma volta pelo canal Rideau em frente ao Fairmont Château Laurier Hotel:


Rio Ottawa:


Havíamos reservado uma visita guiada para conhecer o interior do Parlamento:



Fila para passar pelo raio-x e entrar no Parlamento:


Interior do Parlamento:


Nosso guia:


Biblioteca:



No horário em que fomos não era permitido visitar a câmara de deputados. A visita em si não tinha nada de muito interessante, mas pelo menos foi gratuita. O que valeu a pena foi poder subir na torre do Parlamento, que tem uma bela vista da cidade:









O Canadian War Museum tem um interessante acervo sobre as guerras que tiveram participação do Canadá. Entrada gratuita.



Carro que pertenceu ao Hitler:






Voltei para o hostel. No quarto conheci um coroa turco. Gente boa. Trocamos uma idéia rápida.  Esse hostel tinha bastante gente mais velha nos quartos coletivos, algo que é pouco comum.

Estava uma noite muito fria. Saí para procurar algum lugar para comer. Comi um kebab numa lanchonete perto do hostel. Com um suco, deu $10 (R$27). Não demorou muito para o atendente turco fazer a pergunta clássica:

- Where are you from?
- Brazil.
- Oh, nice! Brazil! I like Ronaldo, Rivaldo, Bebeto, Romario, Roberto Carlos,...

E continuou dando escalação completa da seleção brasileira de 98 e 2002. Mas deixou claro:

- Brazil now is bad! I don't like Neymar!!

Muito engraçado como futebol entra no assunto quase que automaticamente quando digo que sou brasileiro.

Quando voltei, encontrei com o turco na recepção. Ele disse que estava impossível dormir no quarto por causa do ronco do canadense gordão, e que ele ia pedir pra trocar de quarto.  Era realmente algo assustador aquele ronco de urso. Quando fui subindo pela escada, já dava para escutar de longe o barulho. Se não fosse o tampão de ouvido, eu também não conseguiria dormir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[Mochilão 14] Dia 9: Cartagena-San Andrés

[Mochilão 12] Dia 12: Copacabana - Cusco

[Mochilão 13] Dia 20: Abu Dhabi-Dubai