[Mochilão 12] Dia 1: Rio - Santiago

Equipe concentrada no Galeão aguardando o voo, que atrasou 1h:



Foram 4:20h de voo até Santiago. Chegamos bem tarde (meia-noite). Batia um vento congelante (10 graus) do lado de fora do aeroporto.

Sacamos uns pesos chilenos num caixa eletrônico:



Pegar taxi no aeroporto de Santiago é o mesmo que no Galeão. São as mesmas armadilhas para turistas desavisados. O saguão de desembarque tem um guichê de "taxi oficial" oferecendo corridas por preços absurdos. Depois de passar do portão de desembarque, os turistas são abordados e seguidos por vários taxistas picaretas. Depois de conseguir se livrar deles, o segredo é pegar taxi comum (de cor preta e amarela) no ponto que fica na calçada do meio, em frente ao setor de desembarque. A corrida até o centro da cidade custa $15.000 (R$60,00), preço fixo. 

Nosso hotel, Mercure Santiago Centro, fica bem em frente ao Cerro Santa Lucia. Perto de tudo. Achei show de bola. O preço é justo, se comparado ao que estamos acostumados a pagar no Brasil: R$130 por pessoa com café e wi fi incluido.




Já passava das 2h da manhã, e a temperatura despencou para 5 graus. Pegamos um taxi para Bellavista, que é o bairro boêmio de Santiago, com muitos bares, restaurantes e boates. É a "Lapa" daqui. Fica bem perto do hotel. Taxi é bem barato aqui. A corrida deu só $1.500 (R$6,00).

Apesar do frio desesperador, a Pio Nono, principal rua do bairro, estava bombando. Um monte de bares tinha mesas cheias nas calçadas, algo impensável no Rio com o frio que estava fazendo.



Entramos no Bar La Nona e abrimos os trabalhos com uma cerveja chilena Escudo de 1 litro ($2.500 = R$10). O pessoal aqui gosta de pedir cerveja e chopp em grandes quantidades porque sai mais barato, e com o frio que faz, não tem perigo de esquentar.


Sanduíche italiano: recheio de carne e "palta", que é purê de abacate, muito comum aqui. $2200 = R$9,00


Entramos no Club 29 ($5000 = R$20 de entrada). Festa estranha com gente esquisita. Como já passava das 3h da manhã, vimos que não ia valer a pena pegar taxi para procurar outro lugar melhor. Resolvemos encarar. Cerveja Becker 1 litro $3000 (R$12,00):



Começou a tocar uma sequência de músicas brasileiras das antigas: Dança da Manivela, Dança do Vampiro e até uns funks jurássicos. Muito engraçado ver as chilenas fazendo umas coreografias malucas.

Voltamos pro hotel lá pelas 4h da manhã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[Mochilão 15] Dia 23: Quebec - Rio

Último dia da viagem. :-( Mais um dia de sol e temperatura agradável (22 graus). Um dos portões da cidade antiga (Vieux-Quebéc): ...