[Mochilão 11] Dia 4: Auckland

 Depois de uma longa noite de sono, acordamos todos com as baterias 100% carregadas.

Dia ensolarado e com temperatura agradável em Auckland (18 graus).

O café da manhã foi na Hollywood Bakery, o mesmo lugar onde comemos ontem. Apesar do nome, não é exatamente uma padaria. Se parece mais com uma lanchonete e vende sandubas, meat pies, muffins, café e milk shakes. Show de bola !



Fomos na Sky Tower, que é a maior estrutura do hemisfério sul, com 328m de altura. A entrada custou $28 (R$61).


A vista lá de cima é incrível ! Dá pra ver como Auckland é uma cidade rodeada por água.











Pertinho de casa ! :-)



A delegação brasileira !




Como a Nova Zelândia é a terra dos esportes radicais,  Sky Tower não poderia deixar de ter uns brinquedinhos para os chegados a uma adrenalina. O Sky Jump é um salto do alto da torre preso a um cabo que vai desacelerando a queda a medida que o chão se aproxima. O Sky Walk é uma caminhada do lado de fora da torre, numa plataforma de metal sem proteção nenhuma, preso apenas por um cabo de segurança. São caros: ($228=R$500 o Sky Jump e $145=R$320 o Sky Walk). Preferimos deixar a adrenalina para Rotorua e Queenstown.

Fomos depois para o terminal marítimo, onde pegamos um catamarã para a ilha de Rangitoto. Custou $29 (R$64) ida e volta.




Chegando na ilha:



Vista de Auckland:



O catamarã:


A ilha de Rangitoto foi criada por uma erupção vulcânica há cerca de 600 anos. Ela não existia antes disso. Esta foi a erupção mais recente na região de Auckland, que tem cerca de 50 vulcões inativos, e o Rangitoto é o maior destes vulcões. Esta erupção foi a única presenciada pelo homem em Auckland, já que as outras aconteceram há milhares de anos.

Mapa da ilha:



Mapa da região de Auckland e suas diversas ilhas:



Rochas vulcânicas:




Há uma trilha do porto até a cratera do vulcão. A caminhada é de cerca de 1h e passar por trechos cercados de rochas vulcânicas e pela floresta.



Conhecemos uma galerinha do Rio na trilha e trocamos uma idéia com eles. Também estavam mochilando na Nova Zelândia e Austrália como a gente.

No caminho vimos umas caixas de mandeira com ovos dentro onde estava escrito "TRAP - DO NOT TOUCH" em cima. Eram armadilhas para pegar roedores e outros mamíferos. Como a Nova Zelândia separou-se da Austrália há 80 milhões de anos, sua fauna evoluiu em total isolamento do resto do mundo. Antes da chegada do homem há cerca de 800 anos, não existiam mamíferos na Nova Zelândia (com a exceção de morcegos). Os maoris e britânicos trouxeram muitos animais que não existiam aqui, o que causou um desequilíbrio ecológico. Muitas espécies de pássaros foram extintas. Agora há um esforço para proteger esta fauna, eliminando os mamíferos "invasores" através das armadilhas.

A cratera:


A vista lá de cima:



É nóis ! :-)




Voltando para Auckland:



Voltando para o centro da cidade, demos uma passada na loja da Adidas. Os preços eram absurdamente altos. A camisa oficial do All Blacks (seleção neozelandesa de rugby) custa $180 (R$400) !! Não compramos nada.




O centro da cidade movimentado na hora do rush:



Conhecemos na Queen Street umas brasileiras, que passaram umas dicas da night daqui de Auckland.

Comemos um kebab ($5 = R$11) e encontramos com o Demison, um dos brasileiros que a gente tinha conhecido no ônibus do aeroporto quando chegamos.

A equipe completa:



Fomos todos para a Viaduct District tomar uma cerveja. Esta região fazia parte do porto de Auckland. Foi revitalizada e transformada num dos lugares mais requintados da cidade, com vários restaurantes e bares ocupando antigos armazéns. Como era final de tarde de um dia útil, muita gente estava saindo com roupa de trabalho para tomar um chope por lá.

Paramos no primeiro bar e sentamos numa mesa do lado de fora com vista para o mar. A cerveja era bem cara. Esta Kronenburg de 500ml custou $10 (R$22) !!



Fomos para o bar ao lado. Chope Beck’s um pouco mais barato ($8,50 = R$19). Começou a esfriar e ventar. Ficamos por lá até umas 21h. O bar já estava ficando vazio. Bares, restaurantes e o comércio em geral fecha cedo aqui.

Foto de Auckland a noite no Viaduct District:



Fomos no Burger King (BK Chicken $4 = R$9). Demos uma olhada em outros bares no caminho, mas estavam todos vazios, talvez por ser uma segunda-feira. Voltamos pro hotel e dormimos cedo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[Mochilão 15] Dia 23: Quebec - Rio

Último dia da viagem. :-( Mais um dia de sol e temperatura agradável (22 graus). Um dos portões da cidade antiga (Vieux-Quebéc): ...