[Mochilão 11] Dia 14: Sydney

Sol e calor de 28 graus ! Dia perfeito para pegar uma praia em Sydney.

Entrada do nosso hotel:


Proximidades do hotel:



A rua do hotel, William Street, é uma das principais da região de King's Cross, área boêmia de Sydney:




Paramos numa padaria para comer algo.


Sanduíches e meat pies ("empadões" de carne moida e outros recheios):


Pastel de forno e suco de laranja (daqueles de garrafa) por $9,50 (R$23):


Da série "coisas estranhas da Austrália": as moedas maiores são as que tem menos valor. (???) A grande é de 50 centavos, a do meio é de 1 dólar, e a menor é de 2 dólares.


Encontramos com o Morão (que estava hospedado na casa do Guilherme e Rachel) e fomos para a  Darlinghust Road, a principal rua da região de King's Cross. Além de ter vários bares, esta rua é conhecida por ser a "red light district" de Sydney.



Passamos numa loja da Vodafone e aproveitamos para comprar um chip e ativá-lo. O chip pré-pago com plano de dados de 500 Mb custou $30 (R$72).

Compramos na estação de metrô de King's Cross o MyMulti, um bilhete único semanal. Custou $54 (R$130). Bem caro, mas sai bem mais caro pagar as passagens avulsas. Este MyMulti é aceito no metrô, ônibus e barcas que fazem a travessia na Sydney Harbour.


Resolvemos ir para a praia aproveitar o dia ensolarado. Pegamos o metrô com destino Bondi Junction:




Os trens de metrô de Sydney tem dois andares. Estava bem vazio, mesmo sendo hora do rush (10h). São 7 linhas no total.




O metrô não chega até as praias de Sydney. Pegamos um ônibus (linha 353) na última estação (Bondi Junction), onde há um terminal de ônibus. Esse terminal é muito bem organizado, e há placas indicando o itinerário de cada ônibus. Usamos o bilhete único semanal (o mesmo que usamos para o metrô) para pagar, inserindo numa maquininha que fica logo na entrada, ao lado do motorista.


Desembarcamos na praia de Coogee:








A praia tinha uma área gramada entre a rua e o calçadão, onde algumas pessoas estavam pegando sol. Muitas gaivotas passeavam por ali.


Banheiros públicos:


As onipresentes câmeras de segurança. Não se vê nenhum policial pelas ruas da cidade, mas há muitas câmeras por todos os lados.



A praia de Coogee é o ponto de partida para o "Coogee to Bondi walk", um famoso caminho de 6 Km que percorre a orla de 6 praias: Coogee, Gordons Bay, Clovelly, Bronte, Tamarama e Bondi.


No final da praia de Coogee fica o Giles Baths, uma piscina natural de águas cristalinas:







Peixes da região:


Placa com um monte de proibições:


Falésias no caminho entre a Giles Baths e Gordons Bay:


Caminho entre Giles Baths e Gordons Bay:


Chegando em Gordons Bay:






Esta é uma pequena praia de com barcos de pescadores ancorados, e não tinha ninguém tomando sol por lá.



Mais proibições:


Quem por pego caçando mariscos ou outros crustáceos paga uma multa de $5000 !


Caminho entre Gordons Bay e Clovelly:


Vista de Gordons Bay:


Casas no caminho com muros baixos e sem grades:



Praia de Clovelly. Essa praia é bem peculiar. É estreita e comprida, parecendo até a foz de um rio. As "margens" do rio são acimentadas, onde os banhistas tomam sol.




Uma sereia australiana :-)



Salva-vidas:



O Surf Club de Clovely alertando para a incidência de raios ultra-violeta no dia : "Very High", e água com temperatura de 20 graus.



Multa de $11 mil para quem pescar garoupa:


Uma piscina pública na beira da praia:



A pequena faixa de areia dessa praia, que tem a água escura por causa da alta concentração de algas:




Rochas no caminho entre Clovelly e Bronte:


Edifícios com vista pro mar:


Um campo de rugby à beira-mar:


No meio do caminho nos deparamos com um....cemitério (!!!)


Chegando em Bronte:


O caminho tem vários bebedouros públicos. Muito útil para encher a garrafa d'água, já que não há vendedores ambulantes ou quiosques pelo caminho.


Um flanelinha australiano :-)


Mansões em Bronte:




Praia de Bronte:


Achei esta praia a mais bonita de todas do circuito Coogee-Bondi. É uma praia pequena, mas com águas cristalinas, uma imensa área gramada, e mansões incríveis nas encostas.


A área gramada tem umas barracas com bancos de madeira:





Placa com o "código de conduta dos surfistas", indicando a maneira correta de pegar onda, e diversas proibições. Incrível como na cultura britânica existe uma preocupação em querer colocar regras em tudo...


Piscina pública num dos cantos da praia de Bronte. A água e do mar (salgada).



Entramos um pouco nessa piscina para dar uma refrescada.



Bandeira australiana:


Casas em Bronte:


A praia de Bronte de um outro ângulo:


Praia de Tamarama. Essa praia é bem pequena e tem uma faixa de areia enorme:



Tinha uns caras jogando "pelada de rugby" na areia:



Surf Club de Tamarama:


Caminho entre Tamarama e Bondi:


A famosa praia de Bondi, que é a "Ipanema" de Sydney:





Piscina do Bondi Icebergs Club. Para entrar tem que pagar $5,50 (R$13):



Calçadão da praia de Bondi e um grande gramado onde muitos tomavam sol. Tinha inclusive muito topless ! 


Faixa alertado ser proibido consumir álcool e fumar na praia. Alertava também para que objetos de valor não fossem deixados sozinhos na areia. Santa ingenuidade...


A praia estava vazia por ser meio de semana, mas nos finais de semana de sol ela fica bem cheia.




Assim como a praia de Bronte, Bondi também tem umas barracas de madeira com bancos. Parecem uns coretos de cidade de interior...estranho !


Muitos preferem pegar sol na grama:


Não pode tomar nem uma cervejinha na praia. Dá pra ser feliz ?! A praia é bem bonita, limpa e bem cuidada, mas tenho que confessar que este excesso de regras é um SACO. Bateu uma sede ? Você tem que andar até algum bar para comprar água, ou procurar algum bebedouro público, já que vendedores ambulantes são proibidos. Bateu fome ? Nada de empada, sanduba natural, esfiha ou biscoito globo. Ou você leva de casa, ou come em algum dos bares da praia, que são caríssimos. Não tem nenhum quiosque oferecendo aluguel de cadeiras ou barracas de sol. Tem que levar de casa. O pior é que o povo por aqui parece não se preocupar com isso, porque ninguém usa cadeira nem barraca. Fica todo mundo torrando no sol. Não vou nem comentar sobre os biquinis das australianas, porque já dá pra imaginar o desastre que é. Saudades de Ipanema...:-) Tá bom, tem as meninas fazendo topless...um espetáculo, nem tudo está perdido por aqui, ehehhe.


Calçadão:





Paramos neste bar para almoçar:



Este sistema é comum nos bares da Austrália: você tem que pegar a cerveja no bar e levar até sua mesa. Se quiser comer alguma coisa, tem que fazer o pedido também no bar, e pagar adiantado. Aí vc ganha esse número, que tem que colocar em cima da mesa onde vc está sentado, para que o garçom, depois que o prato estiver pronto, leve até sua mesa. Não esse lance de abrir conta como tem no Brasil.


Massa com "prawns" (camarões):


Cerveja australiana Little Creatures Pale Ale. Caro demais esse bar. Paguei $35 (R$84) pela massa (que estava bem mais ou menos) e pela cerveja. Um ROUBO !


Calçadão da rua principal da praia (Campbell Parade):


A Campbell Parade:


Como a praia de Bondi não tem metrô, tivemos que pegar um ônibus até Bondi Junction, a cerca de 3 Km de distância. Como já era final de tarde, o ponto de ônibus estava cheio. Quando o ônibus chegou, formou-se uma multidão se aglomerando na porta dele para entrar. Por lei, os ônibus em Sydney só podem andar com até 15 pessoas em pé. O ônibus rapidamente atingiu esse limite e foi embora. Tivemos que esperar mais dois ônibus para conseguir entrar. Fico imaginando o desespero que deve ser para voltar para casa nos fins de semana, quando a praia fica bem mais cheia. Ipanema nesse aspecto ganha de goleada de Bondi, com sua estação de metrô ali do lado da areia...

Saltamos do metrô no centro da cidade, onde demos uma volta rápida.

Sydney Tower Eye:


Ruas nas redondezas da torre:



Pide, uma espécie de "pizza fechada", que comi numa lanchonete perto do hotel.


Voltamos pro hotel, tomamos um banho e partimos pra night na Ivy, a boate mais famosa de Sydney. Fica na George Street, a principal rua da cidade. A boate é ENORME, com dois andares e mais um terraço com uma pool party. IRADA ! E o mais inacreditável...a entrada foi GRATUITA ! Impossível existir um lugar assim no Brasil com entrada gratuita...  Entramos por volta das 22h e o lugar estava meio vazio, mas depois encheu rapidamente.


O chopp de 500ml custava entre 8 e 10 dólares (R$19 - R$24). Tinha diversas marcas e tipos diferentes de chopp (Lager, Pale Ale, Stout, Weiss...)


Uma coisa legal deste lugar é que as pessoas vão do jeito que querem. Ninguém é barrado na porta por causa da roupa. Então tinha gente de bermuda e camiseta, e outros com roupa social. Bem democrático.


A pista estava bombando muito ! Tinha mulher de tudo quanto é lugar, menos....da Austrália ! O jogo lá era  "encontre a australiana", eheheh. Este lugar parecia ser bem turístico, mas pouco frequentado pelos locais.



Quando deu 2h da manhã, os bares da boate pararam de vender bebida (!!)

Ficamos por lá até as 3h da manhã, quando acenderam as luzes, cortaram a música pela metade e os seguranças mandaram todo mundo embora, por força das leis locais. E olha que o lugar ainda estava bem cheio ! Pôooo...logo quando a noite estava no auge ?! Já tinha visto isso em alguns paises como a Noruega e o Chile, e é um balde de água fria na galera... prefiro o estilo "só acaba quando termina" como é no Brasil e na maioria dos países que conheci.

Voltamos andando pro hotel...uns 20 min de caminhada. Muita gente caindo de bêbada na rua, inclusive mulheres. Alguns mal se aguentavam em pé. O pessoal aqui bebe muito mais que no Brasil...sinistro demais !!

5 comentários:

  1. Muito legal este metrô de dois andares.

    Definitivamente, Austrália e Nova Zelândia são para os endinheirados.

    Os "ingleses" normatizam tudo e os latinos quebram todas as regras. Quem saiu perdendo?

    Gostei da política das casas-noturnas e das regras das praias. Populismo é que é um saco. Lixo na praia, etc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Enaldo... são países caríssimos ! Mesmo nível dos países da Escandinávia. Essa foi a viagem mais cara de todas que já fiz, mas mesmo assim diria que valeu muito a pena.

      Excluir
  2. Olá Alexandre,

    Há alguns anos que sigo você no travellerspoint e só agora percebi que já começou uma nova viagem e que trocou de plataforma.

    Vou continuar a segui-lo aqui.
    Boas viagens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lou ! Que bom receber sua visita no blog. Espero que curta as histórias ! Volte sempre !!!

      Excluir
  3. Estou lendo desde o dia 01 deste mochilão e só até este dia você já tinha gasto uma fortuna ... Pois é, na minha viagem também gastei mais que deveria ... É tudo muito caro .... Mas vale muito a pena .... E quanto as regras ... Eu trocaria de estilo de vida fácil, só de pensar que deixaria de conviver com a violência daqui ....

    ResponderExcluir

[Mochilão 15] Dia 23: Quebec - Rio

Último dia da viagem. :-( Mais um dia de sol e temperatura agradável (22 graus). Um dos portões da cidade antiga (Vieux-Quebéc): ...