[Mochilão 10] Dia 16: Tel Aviv

Dormi bem pra caramba. O ar condicionado do quarto estava gelando, e com os tampões de ouvido, nem ouvi quando outros que estavam no quarto levantaram. Eu estava num quarto bem pequeno, com 2 beliches e mais uma cama de solteiro. Quase não tinha espaço para guardar a bagagem, e não tinha armário para guardar os objetos de valor. Tive que sair e deixar minha mochila com o notebook dando sopa lá no quarto. Quanto à segurança, nunca tive problema nos cerca de 60 albergues onde já me hospedei. A maioria dos mochileiros nem usa os armários para guardar objetos de valor. Já cansei de ver gente saindo do quarto e deixando notebook carregando em cima da cama.

DSC00028.jpg

DSC00030.jpg

Este hostel (Beachfront Hostel) foi o mais caro da viagem, e de longe, o pior até agora. Custou R$63 a diária, quase o mesmo que paguei no hotel 4 estrelas de Rodes. Tel Aviv é caríssima ! Pelo menos uma vantagem: a localização deste hostel é perfeita. Fica de frente pro mar, num lugar bem central. Dá pra fazer tudo a pé.

DSC00034.jpg

Estava um dia de bastante sol e calor (30 graus). Vista do hostel para a praia:

DSC00033.jpg

Herbert Samuel, a avenida da praia, escrita no alfabeto hebraico, árabe e latino:

DSC00037.jpg

A praia de Tel Aviv é na verdade uma só, mas foi dividida artificialmente em vários trechos demarcados por pedras, formando diversas praias menores e com nomes diferentes. O hotel fica na praia de Trumpeldor.

Logo na primeira quadra da praia, um prédio com aparência de abandonado.

DSC00038.jpg

Quarteirão do hotel, com diversos outros hotéis:

DSC00039.jpg

7B7758572219AC6817CE16684C5AEDF0.jpg

Av Ben Yeruda, a segunda paralela da praia, onde achei uma loja de conveniência e comprei meu café da manhã: croissaints e iogurte.

DSC00041.jpg

As moedas em Israel são muito usadas e valem muito. Há moedas de 10 shekels (R$6). Essas 4 moedas valem R$15 !!

DSC00258.jpg

Voltei pro calçadão e comi sentado num banco curtindo a vista.

DSC00035.jpg

7B79E87D2219AC6817262ED6D2F49446.jpg

DSC00061.jpg

O calçadão lembra muito os das praias da zona sul do Rio, com mosaicos e ciclovia:

DSC00043.jpg

Prédios com arquitetura meio louca perto do hotel.

DSC00046.jpg

DSC00154.jpg

O hotel fica bem do lado de um dos lugares mais vigiados do mundo: o Consulado dos EUA. Tem um monte de câmeras, e ficam uns seguranças de olho em todo mundo que passa na calçada em frente.

7BE7CF6A2219AC68174B4E5826D5F8DB.jpg

Perto do hotel também fica este bar famoso chamado Mike’s Place.

7B84B0892219AC68179501C12022CE13.jpg

Há 10 anos houve ali um atentado suicida feito por um terrorista palestino do Hamas, matando 3 pessoas e ferindo mais de 50. Esta placa foi colocada na entrada do bar em homenagem aos mortos no atentado:

DSC00048.jpg

Numa boate que existia de frente pro mar a duas quadras do hotel também houve uma atentado em 2005 (5 mortos). Israel viveu um período negro entre 2000 e 2005, quando aconteceu a Segunda Intifada, como foi denominada a revolta palestina contra a política expansionista promovida do governo israelense. Neste período aconteceram 15 atentados em Tel Aviv e 34 em Jerusalém. O turismo na região foi seriamente afetado. Mesmo com meu espírito aventureiro, eu não viria pra cá naquela época. A partir de 2006, a coisa acalmou e Israel agora vive um renascimento. O turismo voltou com força, e as pessoas passaram a acreditar que a paz na região era possível. Depois de 2 atentados em 2006, Tel Aviv só teve outro atentado no final do ano passado, mas sem mortes. Jerusalem ficou sem atentados de 2004 até 2011, quando explodiu uma bomba num ponto de ônibus, matando uma pessoa. Pela primeira vez desde a Guerra do Golfo em 1991, um míssil disparado da Faixa de Gaza atingiu no ano passado área desabitada na periferia de Tel Aviv sem causar danos ou feridos. No dia seguinte, outro míssil atingiu Jerusalém, o que não acontecia desde 1970, mas também não causou danos. Ninguém sabe ao certo até quando a calmaria continua em Israel, mas estes últimos atentados e mísseis podem significar o início de um novo período violento. Talvez uma “Terceira Intifada”. Na dúvida, achei melhor vir logo conhecer o país, antes que fosse tarde !

A praia tem um mooonte de placas indicando regras e proibições.

Proibido animais:

7B7ADE452219AC6817F03369D898E659.jpg

Proibido, entre outras coisas, consumir bebida alcoólica (!!)

7B80E0EC2219AC68178E0EC3C6F06072.jpg

Proibido nadar nesse trecho. Entretanto, vi tinha várias pessoas entrando na água, ignorando o aviso.

DSC00069.jpg

Essa está toda em hebraico, não dá pra saber o que está escrito:

7BA7236A2219AC6817687D9592E2AF19.jpg

A ciclovia da praia aqui também tem sinal de trânsito, e os ciclistas param para os pedestres atravessarem.

7B7FBFB72219AC68179B71A0A1B4766B.jpg

Chuveiros na praia:

7B822AC52219AC6817F596A0888CF8B3.jpg

Sistema de aluguel de bicicletas públicas:

DSC00074.jpg

DSC00055.jpg

Barracas de madeira:

7B85EEA62219AC68173FE9A9360334D0.jpg

Bebedouro no calçadão:

DSC00059.jpg

Lava-pés:

7B8AD8F12219AC681783AE50DB38549C.jpg

Vi muitos prédios em construção em Tel Aviv. A cidade vive atualmente um “boom” imobiliário. Depois de 2006, com a drástica diminuição dos atentados terroristas, a cidade passou a viver um renascimento. Muitos israelenses que haviam saído do país começaram a voltar, pressionando os preços dos imóveis. O custo de vida do país aumentou bastante, e Tel Aviv converteu-se na cidade mais cara do Oriente Médio. Os moradores da cidade fizeram inclusive um protesto recentemente contra o aumento do custo de vida.

7B889C5E2219AC6817E88B7BEAD6A9DC.jpg

DSC00119.jpg

Um pequeno monumento que vi na praia, onde está escrito “Este é o nosso lar” em russo e hebraico. Cerca de 1 milhão de russos judeus emigraram para Israel nos últimos 30 anos.

7B8C51022219AC68177E68FDE1D4322D.jpg

É muito comum ver placas escritas em russo em Tel Aviv, como por exemplo propagandas de restaurantes:

DSC00121.jpg

Uma mesquita de frente pro mar:

DSC00064.jpg

As ruínas da boate Dolphinarium, de frente pro mar, onde aconteceu um atentado suicida por um terrorista do grupo extremista palestino Hamas em 2001, matando 21 adolescentes e ferindo mais de 100. Foi um dos piores atentados da história de Israel. O local hoje está abandonado.

7B8ECFF72219AC6817ED0A5C8AA05B5E.jpg

DSC00066.jpg

Uma escola de surf improvisada nas ruínas da Dolphinarium:

7B932D1A2219AC6817638FB179E8BE5D.jpg

Vista de Yafo no Dolphinarium. Há 4000 anos, quando Tel Aviv não passava de dunas de areia à beira-mar, a vizinha Yafo já era um dos portos mais importantes do Mediterrâneo. Tel Aviv foi criada por judeus há cerca de 100 anos, já que Yafo era predominantemente árabe e cristã. Hoje as cidades estão unificadas e é comum chamá-las apenas pelo nome “Tel Aviv-Yafo”.

7B921E372219AC6817A83B78B276823E.jpg

Sem-teto acampado num cantinho atrás da Dolphinarium:

7B989FC72219AC68175EB4B9B2320B97.jpg

Bar na praia:

7BA224E12219AC68176F2E5B647F018F.jpg

Galera jogando frescobol na praia.

DSC00071.jpg

Posto dos salva-vidas, que ficam o tempo “dando bronca” em hebraico (através de um potente sistema de megafones) nos banhistas que violam as regras.

7BA399A12219AC68170EBAEEA7575207.jpg

Jardins de frente pro mar:

DSC00076.jpg

Os africanos formam a camada mais pobre da população de Israel. Vi alguns revirando lixeiras e pedindo dinheiro na rua.

DSC00079.jpg

Um museu de frente pro mar:

DSC00082.jpg

Pichação em hebraico, já viu isso ??

DSC00084.jpg

Uma pequena favelinha de frente pro mar, perto de Yafo:

7BAAD15F2219AC68174B8BF486908471.jpg

Vista das praias de Tel Aviv a partir de Yafo:

7BAC6B092219AC6817E74DFFF1B24B73.jpg

Teatro árabe-hebreu de Yafo, uma iniciativa para unir atores árabes e judeus.

DSC00089.jpg

Vista de Tel Aviv a partir do anfiteatro de Yafo:

DSC00096.jpg

Ruínas:

DSC00098.jpg

Jardins de HaPisgah em Yafo:

DSC00099.jpg

Construções antigas de Yafo:

7BB622EC2219AC6817F7914741192EEA.jpg

7BB794A12219AC6817B746FDD2C9BB72.jpg

DSC00110.jpg

O antigo porto de Yafo, hoje apenas um atracadouro de barcos de pescadores. É um dos mais antigos do mundo (4000 anos de existência) e teve grande importância na antiguidade. Foi desativado nos anos 60 e os armazéns foram convertidos em bares e restaurantes.

DSC00111.jpg

7BBDFC112219AC68172B4EF0B07C6AB7.jpg

Lixeira de reciclagem de garrafas plásticas. Vi estas lixeiras espalhadas por toda a cidade.

7BC0F19D2219AC681764376F74C7F555.jpg

Antigo portão de entrada de Yafo:

DSC00120.jpg

Mesquita em Yafo:

DSC00122.jpg

Mulheres muçulmanas em frente a uma loja:

7BC681482219AC6817AF486C63D2AD5D.jpg

Flea Market de Yafo. Vende-se todos os tipos de velharias:

DSC00124.jpg

7BCE9D502219AC6817A3B00905FE1A9A.jpg

DSC00127.jpg

DSC00128.jpg

DSC00130.jpg

Placa anunciando show da Gal Costa (!!)

7BD599182219AC6817008BCA6B9DA27A.jpg

Predios comerciais modernos no bairro de Neve Tzedek. Este é um bairro sofisticado com muitos bares e restaurantes badalados (e caros).

7BD6DCB92219AC6817EEE7869A8413AA.jpg

DSC00133.jpg

Bairro de Florentine, mais simples que Neve Tzedek. A maioria dos prédios residenciais em Tel Aviv são baixos e não passam de 4 andares.

DSC00136.jpg

A Grande Sinagoga:

7BDA42F42219AC681757B2889E63C165.jpg

Allenby, uma das principais ruas da cidade.

DSC00138.jpg

Carmel Market, o grande mercado de Tel Aviv:

7BDCD61C2219AC6817FFB8CB4B8D10AE.jpg

Patriotismo:



7BDDF1AD2219AC681711CDBAC6B44618.jpg

Doces:

DSC00142.jpg

Frutas:

DSC00143.jpg

Tâmaras secas, castanhas, amendoim, etc.

7BE2CDB22219AC68173EDCD66127C22E.jpg

Especiarias:

7BE484B02219AC6817B410A3F2B0F10D.jpg

Diversos tipos de azeitonas:

DSC00146.jpg

Comi um falafel (8 shekels = R$5) e dei uma passada no hostel pra recarregar a bateria da câmera. Depois voltei para a praia e fui ver o que tinha ao norte do hostel, na direção oposta a Yafo.

Academia ao ar livre:

7BEA88BD2219AC6817ED958EAE3EBF58.jpg

Galera jogando vôlei:

7BEB98F32219AC6817B64F5D9E5AFA2B.jpg

“Homeless VIP”, um cara que mora numa van estacionada de frente pro mar.

DSC00148.jpg



Galera correndo no calçadão. Neste trecho da praia, não há uma avenida separando os prédios da areia.

7BEE1C192219AC6817E8564FE7F40B49.jpg

Um clube na praia.

7BEF83FC2219AC68179BC3D630DD7B9B.jpg

Este trecho da praia cercadoo por muros é reservado para os judeus ortodoxos. “Public authorized separate swimming zone”. Homens só podem entrar às 2as, 4as e 6as, e mulheres aos domingos 3as e 5as. “Please keep modesty at the beach” , diz o aviso referindo-se aos trajes “modestos” (conservadores) que precisam ser usados pelos frequentadores.

DSC00158.jpg

DSC00156.jpg

Bar na praia:

DSC00159.jpg

“The beach is not na ashtray”. Achei isso uma ótima idéia. Os fumantes em vez de jogarem as cinzas e pontas dos cigarros na areia, pegam um desses cones e usam como cinzeiro. Depois, quando vão embora da praia, colocam os cones de volta neste local.

DSC00160.jpg

Caravana de segways:

7BFCABCE2219AC68177CF81A56384F0D.jpg

Judeu contemplando o mar:

DSC00163.jpg

O antigo porto de Tel Aviv, no extremo norte da praia, foi convertido numa espécie de “Puerto Madero” de Buenos Aires, com lojas, bares, boates e restaurantes.

7C0051452219AC68175E5B7BC58D315E.jpg

7C02E9652219AC6817B0922E539FADC4.jpg

Um show que estava rolando lá:

7C041BB82219AC681724B06913753945.jpg

Pôr do sol no Mediterrâneo:

7C05D7482219AC681786E47195F8550C.jpg

O calçadão continua rumo ao norte e não consegui ir até o fim. Minhas pernas já estavam implorando por descanso, e eu ainda tinha que voltar por todo o caminho que tinha feito até o hotel.

7C07B0432219AC6817D0FA554FF0C226.jpg

Os bares e restaurantes do porto antigo estavam todos cheios, talvez por ser uma 5ª feira:

7C08DA812219AC68178927B6C446743B.jpg

EBF9C9982219AC681788C00A1068E629.jpg

Antes de voltar pro hotel, comi um McChicken no McDonald’s e tomei um susto quando vi o preço: 25,50 shekels (R$15,50) , isso só o sanduíche, sem batata frita e refrigerante. E o detalhe é que o sanduíche não veio com queijo, em respeito à dieta kosher dos judeus, que não permite laticínios misturados à carne.

7C0AC98F2219AC6817BBE556C5BC254D.jpg

Queria sair a noite, mas eu estava morto, me arrastando. Devo ter andado uns 20km durante o dia. Fui dormir. Ar condicionado do quarto ligado no máximo. A temperatura continuava alta em Tel Aviv mesmo à noite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[Mochilão 15] Dia 23: Quebec - Rio

Último dia da viagem. :-( Mais um dia de sol e temperatura agradável (22 graus). Um dos portões da cidade antiga (Vieux-Quebéc): ...