[Mochilão 9] Dia 8: Tóquio

Acordei muito cedo, as 6h da manhã, sem despertador. Ainda estava com o fuso horário meio louco.

Passei na 7-Eleven onde comprei meu café da manhã:

DSC07735.jpg

Café com leite gelado:

DSC07739.jpg

Biscoito de algo não identificado (mas era muito ruim):

DSC07740.jpg

Pão com recheio de curry (!!!):

DSC07741.jpg

Perto da estação de trens de Asakusa, vi uma cena inusitada: um japonês fazendo pregação religiosa !!! E não era budismo ou xintoísmo, era pregação evangélica mesmo. Ele ficava segurando uma placa onde estava escrito em japonês e inglês: “The blood of Jesus cleanses sin. Holy Bible John 17”. O detalhe engraçado é que ele nem abria a boca. Tinha um gravador e um megafone, que ficava repetindo a mensagem religiosa. Surreal !!!

DSC07744.jpg

Gravei até um video:

Peguei o metrô para o centro da cidade. Hora do hush, estava cheio. As pessoas ficavam esperando o metrô formando uma fila na estação. O metrô de Tóquio não é tão cheio como eu imaginava. A maioria dos que eu peguei estavam até relativamente vazios. O intervalo dos trens é bem pequeno e dá vazão pra grande demanda. Só peguei até agora um vagão uma vez que estava bem cheio, mas ficou assim somente no trajeto entre umas 4 estações. Depois esvaziou. O que é mais impressionante é a educação das pessoas. Ninguém fica se acotuvelando, e o silêncio dentro dos vagões é surreal.

DSC07747.jpg

O transporte no Japão é bem caro. As tarifas de metrô variam de acordo com a distância e com a linha. A tarifa mais barata é de 130 yens (R$3,25), geralmente para percorrer umas 5 estações. A partir daí, vai subindo, podendo chegar a 250 yens (R$6,25) ou mais.

O metrô também tem vagão feminino, como no Rio:

DSC07860.jpg

Desci na estação Tsukijishijo, no centrão da cidade. Vi coisas bizarras no caminho, como gente comendo noodles em pequenos restaurantes às 8:30 da manhã !!

Fui conhecer o famoso mercado de peixes de Tsukiji. Todas as manhãs, a partir das 5h, o mercado é tomado por donos de restaurantes e vendedores de alimentos de toda a cidade, que compram frutos do mar dos vendedores atacadistas. Há cerca de 450 tipos de frutos-do-mar a venda nesse mercado, que ocupa uma área enorme. Quando cheguei no local, às 8:30, já não tinha mais ninguém, mas deu pra ver como o mercado é gigante.

Instruções em inglês para os turistas na entrada do mercado:

DSC07749.jpg

DSC07750.jpg

DSC07751.jpg

Muitos peixes, como o atum, vem de longe. Caminhão com peixe importado da Noruega:

DSC07753.jpg

Um dos inúmeros corredores do mercado com caixas de isopor vazias. O mais impressionante é que o mercado não fedia a peixe. Estava tudo muito limpo.

DSC07756.jpg

Ali do lado do mercado está o jardim Hama Rikyu, que era utilizado como retiro pela familia dos antigos xoguns (líderes da época dos samurais). Na entrada, deram um audioguide, que era um aparelho de mp3 que contava a história de cada parte da visita. O audioguide era guiado por GPS, então cada vez que eu me aproximava de um lugar de interesse no jardim, ele detectava a minha posição e falava sobre o lugar. Irado !!

DSC07757.jpg

DSC07762.jpg

DSC07759.jpg

DSC07763.jpg

DSC07764.jpg

DSC07769.jpg

Vista da ponte sobre a baía de Tóquio:

DSC07773.jpg

Num banheiro do parque, uma coisa engraçada. Uma plaquinha ensinando como lavar as mãos. É tão difícil assim ???

DSC07765.jpg

Não vi em banheiro público nenhum de Tóquio lugar para enxugar as mãos, nem em banheiros de shoppings, estações de trem ou restaurantes. Nunca tem papel toalha ou aqueles secadores com ar quente. Os japoneses lavam as mão e saem com elas molhadas mesmo. Estranho...

DSC07766.jpg

Perto do parque, um hotel-capsula, daqueles com quartos que são na verdade uma pequena “urna” com uma cama e uma TV.

DSC07775.jpg

Vista do mercado de peixes de Tsukiji, de cima de uma ponte:

DSC07777.jpg

O outro lado da margem do canal, visto de cima da ponte:

DSC07778.jpg

Muitas bicicletas por toda a cidade. Não vi muitas ciclovias como em Copenhague. As pessoas pedalam por cima das calçadas mesmo.

DSC07779.jpg

Nas ruas próximas ao mercado de peixes, muitos restaurantes de sushi.

DSC07783.jpg

DSC07789.jpg

DSC07780.jpg

DSC07781.jpg

DSC07790.jpg

Tinha sushi de tudo quanto é tipo...até de ovo !!

DSC07791.jpg

Temakis:

DSC07793.jpg

Vendedor de peixes:

DSC07788.jpg

Resolvi provar algo diferente. Parecia um espeto de queijo coalho, mas era, acredite, omelete !!!

DSC07784.jpg

DSC07786.jpg

DSC07785.jpg

Barraquinha vendendo não sei o quê !!

DSC07792.jpg

Suco de tapioca ?! Heim ??

DSC07794.jpg

Hora de conhecer um dos lugares mais badalados de Tóquio: Ginza !! (pronuncia-se “guinza”). Fica uma região bem central da cidade, com muitos prédios comerciais, lojas de grife, shoppings e telões nas fachadas dos edifícios. Muita gente nas ruas. É como se fosse uma Times Square.

DSC07801.jpg

DSC07810.jpg

DSC07833.jpg

Aqui no Japão tudo é fotogênico e diferente. Dá vontade de tirar foto de tudo. Agora entendo por que os japoneses gostam tanto de tirar foto quando viajam pro ocidente. Pra eles tudo também deve ser exótico.

Gente sendo entrevistada na rua:

DSC07804.jpg

DSC07816.jpg

Sony Building, com um salão mostrando os últimos lançamentos da sua linha de smartphones, videogames, TVs, home theaters e notebooks. Estranhamente, não podia tirar foto dentro.

DSC07811.jpg

Muitas lojas:

DSC07813.jpg

DSC07832.jpg

Parei nessa loja de doces japoneses. Não resisti e comprei duas bolotas dessas pra provar.

DSC07815.jpg

DSC07821.jpg

Pareciam ter recheio de chocolate...

DSC07822.jpg

...mas era FEIJÃO !!! ahhahaha. Bizarro !!

DSC07823.jpg

Uma lanterna tradicional japonesa:

DSC07824.jpg

Riquixá:

DSC07829.jpg

Os únicos sinais de pobreza que vi no Japão até agora foram alguns pouquíssimos mendigos:

DSC07830.jpg

Com um dos metros-quadrados mais caros do mundo, Tóquio não pode se dar ao luxo de desperdiçar nenhum espaço. Até mesmo o espaço embaixo dos viadutos das linhas de trem é aproveitado por lojas e restaurantes:

DSC07835.jpg

DSC07837.jpg

O Forum Internacional de Tóquio é um dos edifícios mais loucos que já vi. Ele tem a forma de um casco de navio, todo de vidro. Muito maneiro ! O local é um centro cultural que também tem lojas, cafés e restaurantes.

DSC07844.jpg

DSC07840.jpg

DSC07841.jpg

DSC07843.jpg

No pátio externo, uma cena bem brasileira: vans vendendo comida.

DSC07838.jpg

DSC07839.jpg

O padrão de beleza das mulheres japonesas: traços delicados e pele muito branca.

DSC07845.jpg

Em Tóquio, quando menos se espera, passa um trem-bala sobre sua cabeça, bem no estilo Blade Runner:

DSC07846.jpg

Nihonbashi é um bairro vizinho. Era o centro comercial da cidade até o terremoto de 1923 destruir tudo.

DSC07849.jpg

A ponte de Nihonbashi, uma das mais antigas da cidade.

DSC07851.jpg

Michael Jackson japonês ???

DSC07852.jpg

Passeio de barco num canal sob o viaduto...esquisito, não ??

DSC07854.jpg

Em Tóquio é assim. Quando menos se espera, aparece um santuário. Até debaixo do viaduto.

DSC07855.jpg

Bolsa de Valores de Tóquio:

DSC07858.jpg

Apple Store:

120120523_152456.jpg

Voltei para Ginza. Parada estratégica para um lanche no 7-Eleven.

Bebida louca...parecia uma sprite, mas com álcool:

120120523_155317.jpg

Pão com recheio de curry:

120120523_155459.jpg

Nunca fui muito fã de arroz, mas resolvi experimentar um mochi (bolinho de arroz). Isso eu já conhecia de longa data. Quem jogou Alex Kidd, um clássico dos videogames nos anos 90, sabe do que estou falando :)

120120523_173114.jpg

120120523_160247.jpg

Dei a primeira mordida, e vi que tinha um recheio de uma carne esquisita. Não era frango, peixe, nem carne bovina. Resilvi abrir o bolinho pra ver o que era. Olha só a surpresa....

120120523_160537.jpg

Delícia, heim !! Parecia uns girinos, ou então um monte de vermes. Dava até pra identificar os olhinhos dos bichos. Argh ! Joguei tudo fora imediatamente e tomei a lata inteira da bebida não identificada que eu tinha comprado.

120120523_160734.jpg

Comprei ingresso pra ver uma sessão de teatro kabuki. Este tipo de teatro era tradicionalmente realizado no Kabuki-za, um teatro que foi inaugurado no século 19 em Ginza. Porém, está atualmente em reformas, e por isso, o kabuki está sendo provisoriamente realizado no Teatro Shimbashi, também em Ginza. O ingresso custou caro (5000 yen, ou R$125).

Entrada do Teatro Shimbashi:

120120523_161048.jpg

Propagandas de kabuki na entrada:

DSC07817.jpg

DSC07818.jpg

DSC07826.jpg

DSC07827.jpg

DSC07828.jpg

A platéia era basicamente de japoneses idosos. Muitas velhinhas usavam inclusive kimono. De ocidentais, só tinha eu e mais duas meninas.

120120523_162119.jpg

120120523_162128.jpg

A peça era longa, com 3 atos de uma hora. Não podia gravar ou tirar foto. Era visualmente bonito pelo cenário e pelas roupas, mas achei tudo paradão demais. Além disso, os diálogos eram todos em japonês. Não dava pra entender nada. Em poucos minutos, eu simplesmente apaguei. Devo ter visto uns 20 minutos de teatro. Fui embora no final do primeiro ato e não voltei mais. Muito chato.

Comprei um café gelado pra ver se eu espantava o sono que tomou conta de mim durante a peça:

120120523_173418.jpg

O que mais se escuta aqui é “hai” (“sim”, e outras coisas também), “arigatô gozaiumas” (obrigado) e “kudasai” (por favor). Demorei a entender o tal do “hai”, porque sempre achava que a pessoa estava dando um “oi” em inglês (hi), e eu respondia falando “hi” também. Na verdade, fala-se “hai em diversas situações, como por exemplo, quando você se dirige a um guichê. O cara fala “hai” querendo dizer “pois não?”. Eu respondia “hi” também, e ficava uma situação estranha, porque eu achava que a pessoa falava inglês, quando na verdade não falava nada !!

Esse gato está por todos os lados no Japão. Deve ser símbolo de alguma coisa aqui.

120120523_172904.jpg

Fui para Roppongi, um dos bairros boêmios de Tóquio. O coração do bairro é o Roppongi Hills, um complexo enorme com shopping, restaurantes, cinemas, e uma torre com um mirante no topo.

120120523_180710.jpg

Mapa do local:

120120523_180953.jpg

Uma obra de arte na entrada da torre:

120120523_181126.jpg

Vista do tipo da torre:

120120523_181915.jpg

120120523_182057.jpg

120120523_182816.jpg

120120523_183452.jpg

Um dos pratos servidos no restaurante no topo da torre era esse osso esquisito. Parece coisa dos Flintstones !! De que bicho será essa carne ??

120120523_184151.jpg

Espaço para shows no térreo:

120120523_185542.jpg

Entrada do shopping:

120120523_185656.jpg

Edifício de um canal de TV, anexo ao complexo:

120120523_190213.jpg

A Torre de Tóquio:

120120523_190556.jpg

O bairro de Roppongi tem muitos bares e restaurantes legais. Anoiteceu e o movimento começou a aumentar.

120120523_194455.jpg

120120523_194521.jpg

120120523_194638.jpg

120120523_201810.jpg

Um video que gravei lá:

Achei um autêntico kebab turco numa rua do bairro, e não resisti. Tive que saborear um !!

120120523_201228.jpg

120120523_200448.jpg

Peguei o metrô para conhecer outro bairro badalado da cidade: Shinjuku. Esse bairro é o “novo centro” de Tóquio, com muitos arranha-céus e areas futuristas.

A estação de trens de Shinjuku é a mais movimentada do mundo, com mais de 2 milhões de passageiros passando diariamente por lá. É uma importante conexão para quem chega de metrô e pega trens para os subúrbios de Tóquio. A quantidade de gente passando é impressionante, e olha que já era tarde (9 da noite).

120120523_210727.jpg

120120523_210917.jpg

120120523_211252.jpg

Video que gravei na estação:

Um pachinko:

120120523_211709.jpg

120120523_211817.jpg

Espetinhos:

120120523_211859.jpg

Telões nas fachadas dos prédios, em frente ao Studio Alta:

120120523_212758.jpg

Videos que gravei no local.



Tinha muuuuita gente na rua. Fiquei impressionado com o movimento tarde da noite.

120120523_214307.jpg

Karaokê:

120120523_214443.jpg

Toda a região tinha muitas casas de strip, e muitos “tuts” africanos no meio da rua ficavam me abordando, dizendo : “girls ? sex ?”. Tourist trap total !!!

Alguns quarteirões de Shinjuku (área conhecida como Golden Gai...não é Gay, não confundir..hehe) tem bares muito pequenos. Em alguns, mal cabem 5 pessoas. Muito engraçado !! Tinha muuuuitos bares, em várias ruas bem estreitas.

120120523_222843.jpg

120120523_222950.jpg

Comi um sanduba de macarrão e voltei pro albergue.

120120523_233746.jpg

Pensei em sair a noite, mas eu estava destruído, não me aguentava em pé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[Mochilão 15] Dia 23: Quebec - Rio

Último dia da viagem. :-( Mais um dia de sol e temperatura agradável (22 graus). Um dos portões da cidade antiga (Vieux-Quebéc): ...