[Mochilão 5] Dia 12: Bergen - Tromsø

Acordamos às 10h. Fomos no Escritório de Turismo pedir reembolso do passeio "Norway in a Nutshell" que havíamos comprado, pois era um passeio de um dia inteiro e não daria tempo de pegar o nosso vôo para Tromsø às 16h. Uma pena não ter rolado esse passeio, porque é um dos que mais valem a pena na Noruega.

Pouco depois, ao meio-dia, pegamos o ônibus pro aeroporto em frente ao Bryggen. Estava chovendo muito e chegamos encharcados no ônibus.

O vôo partiu às 16h, e fez conexão em Oslo. De lá até Tromsø foram mais duas horas de vôo.

Tromsø é uma cidade de apenas 62 mil habitantes que fica numa ilha a 1700km ao norte de Oslo, acima do Círculo Polar Ártico. Para ter uma ideia do que é isso, a base brasileira na Antártida fica numa latitude menor que essa cidade, no hemisferio sul. Apesar de estar tão ao norte, não faz tanto frio quanto na Antártida. O clima é equilibrado pela Corrente do Atlântico Norte e pela proximidade do mar. No inverno, neva muito lá, mas dificilmente faz menos que -10 graus. No verão, a temperatura varia de 5 a 15 graus.

Fomos parar neste lugar tão remoto para ter uma experiência única: ver o sol da meia-noite !!! Entre 18 de maio e 26 de julho, o sol se mantém acima da linha do horizonte. São quase 2 meses sem noite. De 21 de novembro a 15 de janeiro, o sol fica abaixo da linha do horizonte, ou seja, é noite 24 horas por dia. Tromsø é um dos melhores lugares para observar a Aurora Boreal, nos meses em que há noite.

Apesar de ser pequena, Tromsø tem total infra-estrutura: empresas, porto, aeroporto, shopping, restaurantes, universidade, lojas, bancos, museus, uma intensa programação cultural, etc. Tromsø tem a universidade, a cervejaria, o planetário, e o jardim botänico mais ao norte do mundo.

A melhor maneira de chegar lá a partir de Oslo é de avião (2h de vôo). De trem, são 8h até Trondheim, e mais 10h até Bodø. A partir de lá, só de ônibus (7h até Narvik, mais 4h até Tromsø), totalizando 29h de viagem, sem contar o tempo gasto nas baldeações !!! Muito sinistro !!!

Desembarcamos lá às 21h. Fazia um frio de 7 graus e um vento congelante. Ficamos esperando um taxi em frente ao saguão de desembarque. Tinha até uma "sala de espera" na calçada, onde as pessoas esperavam o taxi protegidas do vento frio. Fico imaginando como deve ser no inverno...

Chegou nosso taxi. Um Mercedes novo em folha. Ferrou ! Hora de ir à falência. Não tínhamos muita alternativa. Entramos. O trajeto até o albergue foi de apenas 4Km. O taxímetro ultra-moderno (com GPS) mostrava o preço da corrida: 100 coroas norueguesas (cerca de 33 reais). Caro, mas longe de ser uma fortuna.

O albergue (Tromsø Hosteling International Hostel) era um prédio de 7 andares. Foi o albergue mais caro da viagem (38 euros a diária, por pessoa), mas ficamos num quarto só para a gente.

Europa_2008_371.jpg

O quarto do albergue:

Europa_2008_368.jpg

A vista da janela do quarto:

Europa_2008_369.jpg

Europa_2008_370.jpg

A paisagem em frente ao albergue: casas de madeira e montanhas nevadas. Detalhe: essa foto foi tirada às 23:20 !!!

Europa_2008_373.jpg

O albergue ficava no alto de uma colina, a cerca de 2Km do centro. Dava 40 min de caminhada descendo a colina por ruas íngremes, com belas casas de madeira.

Europa_2008_374.jpg

O sol da meia-noite !!!! Esta foto foi tirada às 00:04 ! A sensação de claridade total quando é meia-noite é bem diferente. O corpo perde totalmente a referência das horas do dia. Essa foto foi tirada na Storgata, principal rua do centro de Tromsø. Na verdade não vimos o sol porque estava nublado, mas só a sensação de ver a claridade de madrugada era única !

Europa_2008_376.jpg

A ultramoderna biblioteca municipal:

Europa_2008_377.jpg

A vista do porto e da ponte que liga a ilha onde fica Tromsø ao continente:

Europa_2008_378.jpg

Estávamos famintos. Ficamos uns 20 minutos pelo centro da cidade procurando um restaurante ou lanchonete que estivessem abertos, mas estava tudo fechado. Esquecemos que estávamos numa cidade pequena. Eu juro que pagava 50 reais por um "podrão" bem suculento, como aqueles que estamos acostumados a ver de madrugada nas ruas brasileiras. Eis que conseguimos encontrar uma lanchonete salvadora !!! Era um Kebab, de turcos !!! Sempre eles, os Kebabs, salvando os mochileiros nas horas de perrengue, até no extremo norte da Noruega !

Pedi o maior kebab que tinha lá. Foi meio caro (cerca de 30 reais), mas estava muito bom, e devorei em poucos segundos. Olha o tamanho da criança:

Europa_2008_381.jpg

Não tinha nada para fazer na cidade. Era uma terça-feira. As ruas estavam desertas e não tinha um pub sequer aberto.

Voltamos pro albergue (mais 40 min ladeira acima !) e fomos dormir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[Mochilão 15] Dia 23: Quebec - Rio

Último dia da viagem. :-( Mais um dia de sol e temperatura agradável (22 graus). Um dos portões da cidade antiga (Vieux-Quebéc): ...