[Mochilão 3] Dia 4: Nápoles

Enfim, uma longa e merecida noite de sono, após dois dias sem dormir Acordei novo em folha. No café da manhã no albergue comi pão com Nutella (tinha um balde de 5Kg !).

Dia bonito e ensolarado. Primeiro giretto (volta) pela cidade. Essa é a via Giovanni Melisburgo, a rua do albergue. Num dos andares desse prédio feioso ficava o albergue.

3DSC00166.jpg

Propaganda da Forza Italia, partido do Silvio Berlusconi:

DSC00167.jpg

Via Cristoforo Colombo, em frente ao albergue. É a região portuária da cidade, de onde saem navios e barcos para as ilhas e para a Costa Amalfitana.

DSC00168.jpg

Castel Nuovo:

DSC00170.jpg

Piazza Municipio:

DSC00171.jpg

DSC00177.jpg

Certosa di San Martino, visto da Piazza Municipio:

DSC00172.jpg

Castel Nuovo:

DSC00174.jpg

DSC00176.jpg

DSC00178.jpg

Vista do Castel Nuovo:

DSC00179.jpg

DSC00180.jpg

Certosa di San Martini, visto do Castel Nuovo:

DSC00187.jpg

O porto de Nápoles visto do Castel Nuovo, e o vulcão Vesúvio ao fundo:

DSC00193.jpg

Praça em frente ao Palazzo Reale:

DSC00198.jpg

Palazzo Reale:

palazzo_reale.jpg

4DSC00197.jpg

DSC00199.jpg

DSC00202.jpg

Castel Nuovo visto do Palazzo Reale:

DSC00204.jpg

Basilica di San Francesco di Paola:

DSC00206.jpg

Via Chiaia, uma das ruas de pedestres mais famosas da cidade:

DSC00209.jpg

Andando pela Via Chiaia, entrei nessa estreita viela (Vico Tratoio), que vai subindo pelo bairro de San Ferdinando. Achei bem autêntico o lugar. Pequenas quitandas colocavam as mercadorias na calçada, onde senhoras de aparência simples faziam compras. Não vi turistas. Lambretas subiam e desciam a viela em meio aos pedestres. Nas janelas dos sobrados antigos, roupas penduradas para o lado de fora. Um casal jovem conversava alto numa esquina, quase berrando, como se eles estivessem brigando, mas era só impressão, pois os italianos são assim mesmo. Eu estava penetrando na alma italiana. Senti que ali, longe da badalação dos pontos turísticos, dos restaurantes caros e das lojas de griffe, a Itália era mais Italia.

DSC00210.jpg

DSC00215.jpg

DSC00227.jpg

Uma pitoresca sapataria, com o aviso "APERTO TUTTE LE SERE" (aberto todas as noites):

DSC00211.jpg

Via Partenope:

DSC00220.jpg

Pequena praia de pedras na via Partenope:

DSC00221.jpg

DSC00223.jpg

Galeria Umberto I, próximo ao Palazzo Reale:

DSC00229.jpg

Funicular para subir até o bairro de Vomero, no alto de um morro:

DSC00231.jpg

Sabedoria popular italiana, numa parede em Vomero: "L'alcol è nemico dell'uomo. Chi fugge dal nemico è un vigliacco" (O álcool é um enemigo do homem. Quem foge do inimigo é um covarde)

DSC00232.jpg

Castel Sant'Elmo:

castel_santelmo.jpg

DSC00236.jpg

Vista de Nápoles no Castel Sant'Elmo:

4DSC00251.jpg

DSC00253.jpg

DSC00257.jpg

Video que grave com a vista de Nápoles:

Dei uma volta pelo bairro de Vomero, um dos que achei mais bonitos da cidade. Lembra um pouco Santa Teresa, com as ladeiras e casas antigas.

Depois fui no Museo Archeologico Nazionale, que tem uma coleção incrível de objetos, pinturas e mosaicos romanos retirados das escavações de Pompéia, uma cidade que foi enterrada pelas cinzas do vulcão Vesúvio no ano 76. Este mosaico de animais marinhos, por exemplo, está exposto no museu:

mosaico.jpg

Sentei num banco em frente ao museu pra dar uma descansada, e fiquei reparando no trânsito, que era um caos. Todo mundo buzinava, mesmo sem motivo. As "motorini" (vespas) estão por toda a parte, e parecem não respeitar nada. Quando o sinal fechava, os motociclistas passavam por cima da calçada, desviando dos pedestres. Isso quando não trafegavam na contra-mão. Conseguem ser pior que os motoboys do Brasil !!!

Voltei pro albergue, tomei um banho, e fui no bairro de Spaccanapoli experimentar a famosa pizza napolitana na cidade onde ela foi inventada. Fui na Pizzeria Vesì, e pedi uma pizza margherita. Foi a melhor pizza que já comi na minha vida !!!! Deliciosa !! O tomate cereja praticamente derretia na boca. Para acompanhar, uma cerveja Nastro Azzurro, tradicional de Nápoles. E o melhor, paguei apenas 5 euros pela pizza, mais 2 pela cerveja !

DSC00271.jpg

DSC00272.jpg

Na Itália, as pizzas são em tamanho único, para uma pessoa. Os sabores são diferentes dos que temos no Brasil. Nada de "frango com catupiry", "portuguesa" ou "calabresa". A verdadeira pizza napolitana só é disponível em dois sabores: margherita (muzzarela, tomate, mangericão) e marinara (tomate, azeite, orégano, alho). Em algumas pizzarias existem variações, como a margherita DOC (que tem ingredientes especiais, como muzzarela de bufala), ou a margherita con melanzane (beringela).

Voltei para o albergue, e fiquei conversando com a galera do quarto. Um australiano bem gente boa me deu os mapas que ele tinha, e me passou umas dicas sobre as ilhas de Capri e Ischia. Ele falou que aqueles mapas haviam sido dados por outro hóspede que estava no quarto. Achei maneiro o espírito de cooperação e amizade que existe entre os mochileiros nos albergues.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

[Mochilão 15] Dia 23: Quebec - Rio

Último dia da viagem. :-( Mais um dia de sol e temperatura agradável (22 graus). Um dos portões da cidade antiga (Vieux-Quebéc): ...