[Mochilão 1] Dia 2: Santiago

Acordamos, tomamos café da manhã no albergue e saimos pra dar uma volta pela cidade. O albergue ficava bem proximo da "Alameda", como é conhecida a Av General O'Higgins, que é a principal via da cidade. No horizonte, era possivel ver a Cordilheira dos Andes por cima dos prédios reinando absoluta e formando uma paisagem encantadora, com seus picos cobertos de neve. A primeira impressão da cidade agradou. Muito limpa e segura. Transito organizado, motoristas educados respeitando pedestres, metrô eficiente e abrangente. Quase uma cidade do Leste Europeu. Conhecemos o Palacio de la Moneda (sede do governo) e a Calle Ahumada, que é principal rua de pedestres de lá, semelhante a Florida, de Buenos Aires. É onde fica o comércio principal da cidade.

Palacio de La Moneda:
DSC00062.jpg

Calle Ahumada:
DSC00072.jpg

Ali perto fica o Mercado Central, uma espécie de mercado de peixes onde são vendidos todas as variedades de frutos do mar que se pode imaginar. Lá também tem vários restaurantes de frutos do mar. É engraçado que os garçons ficam assediando os turistas que passam por lá, chamando pra entrar e almoçar lá. Almoçamos num deles e escolhemos um file de salmão com abacate sensacional. Sim, abacate. Tudo lá leva abacate, seja em pedaços pequenos, seja amassado (o que eles chamam de "palta"). O sanduíche podrão que se vende na carrocinha no final da noite leva palta em vez de maionese. Até o McDonald's entrou na onda e lançou o McPalta, um sanduiche com molho de abacate. Provei e gostei muito. É como a guacamole mexicana, mas sem a pimenta.

Mercado Central:
DSC00080.jpg
DSC00083.jpg

Depois do almoço, fomos conhecer o Cerro San Cristobal, uma das principais atrações da cidade. Pra subir esta montanha, pegamos um funicular. Lá em cima, a vista da cidade é muito bonita, e a cordilheira dos Andes no fundo mostra todo o seu esplendor. Depois pegamos um teleférico que levou a gente pra uma outra parte da cidade, um bairro chamado Vitacura, que é mais sofisticado, só de casas.

DSC00091.jpg
DSC00093.jpg
DSC00107.jpg

Voltamos albergue, tomamos um banho, comemos algo e fomos pra noitada na Av Suécia, no bairro Providencia. Esse era o "point" da cidade, uma rua só de bares e boates, uma do lado da outra. O melhor de tudo é que era muito barato pra entrar. Escolhemos uma tal de Red Bull, que estava ficando cheia. Fomos logo pedindo no bar, pra começar bem, um Pisco Sour, que é a caipirinha deles. O pisco é a cachaça chilena, e o drink é o Pisco misturado com limão, açúcar, gelo e clara de ovo. A musica era uma mistura só. Tocou dance, salsa chilena (que era muito boa), e até Asa de Aguia (dança do vampiro). Todo mundo olhando, porque ninguém sabia a coreografia, só a gente, hehe. Night bombando, e as 3 da manhã em ponto, pra nossa surpresa, entraram uns policiais (los carabineros) na boate, mandaram acender a luz, desligar a música, e pediram que todos se retirassem. Virou todo mundo abóbora. No começo achei que fosse alguma confusão que eles estavam tentando controlar, mas depois fiquei sabendo que é sempre assim, por força da lei. Deve ser alguma herança do regime militar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[Mochilão 14] Dia 9: Cartagena-San Andrés

[Mochilão 12] Dia 12: Copacabana - Cusco

[Mochilão 13] Dia 20: Abu Dhabi-Dubai